Albert Uderzo, o criador de Asterix, morre aos 92 anos

É improvável que você nunca tenha ouvido falar de Asterix, mesmo que jamais tenha lido os quadrinhos com os gauleses comedores de javali e eternos rivais de Júlio Cesar.

Albert Uderzo, o pai da Gália mais famosa do mundo e seus icônicos heróis Asterix e Obelix, acaba de falecer, aos 92 anos.

Nascido em 1927, em Marne, na região do Grande Leste da França, esse filho dos imigrantes italianos iniciou sua carreira de artista em Paris depois da guerra, em 1945, e conheceu Goscinny em 1951, com quem trabalhou na empresa belga World Press, apresentando os primeiros trabalhos em conjunto, Oumpah-pah, Jehan Pistolet e Luc Junior.

Em 1959, Uderzo participou do lançamento da revista Pilote , desenhando duas séries, Asterix , já com roteiro de seu parceiro René Goscinny, e Tanguy e Laverdure , com traço menos cartunesco, apresentando as aventuras de dois aviadores, com roteiro de Jean-Michel Charlier.

Asterix, o Gaulês, tornou-se o primeiro de uma série de álbuns, traduzidos em vários idiomas, com cerca de 370 milhões de cópias vendidas em todo mundo.

Uma dúzia de desenhos animados chegaram às telas dos cinemas por toda parte, sendo os dois últimos realizados em 2014 e 2018 por Alexandre Astier e Louis Clichy.

Outros quatro filmes em live action, com interpretação dos atores Christian Clavier e Edouard Baer no papel de Astérix e Gérard Depardieu como o impagável Obélix, ampliaram ainda mais o universo dos quadrinhos do gaulês para o público de cinema e tv.

Uderzo assumiu os quadrinhos de Asterix em uma produção pessoal após a morte de Goscinny em 1977, antes de autorizar os profissionais Jean-Yves Ferri e Didier Conrad a assumirem a saga em 2013, produção que manteve a qualidade narrativa das aventuras e trouxe renovo aos roteiros, mantendo o estilo elegante e divertido da obra original.

Para conhecer mais sobre as incríveis aventuras do gaulês, acesse o site oficial Asterix.com.

Fonte: Telérama

Sem comentários

Postar um comentário