Implante com eletrodos consegue restabelecer movimentos em paraplégicos

O projeto já foi testado em ratos.

Os pesquisadores da Ecole Polytechinque Fédérale de Lausanne, na França, estudam um novo material capaz de estimular nervos em pessoas paraplégicas, resgatando o movimento das pernas.

O e-Dura, um implante em forma de fita prostética, equipada com eletrodos, é instalado ao longo da medula espinhal do paciente e deve oferecer uma nova modalidade de tratamento para pessoas com paralisia.

O implante estimula a medula espinhal e reanima as células nervosas junto ao tecido lesionado, abaixo da dura-máter, uma das membranas que envolvem o cérebro e a medula. Por ser de material flexível, o implante não é rejeitado pelo organismo.

O projeto, que já foi testado em ratos com excelentes resultados, abre “novas possibilidades terapêuticas para pacientes que sofrem de traumas ou distúrbios neurológicos, especialmente indivíduos que ficaram paralisados após sofrerem danos na espinha”, afirma o professor Stéphanie Lacour, um dos integrantes da pesquisa.

Mais informações sobre o implante estão disponíveis no artigo online do projeto (em inglês).

Sem comentários

Postar um comentário