Tijolo de plástico reciclado é mais duro que concreto e ajuda o meio ambiente

Uma engenheira queniana está minimizando o problema de moradias da região e ajudando a eliminar dejetos plásticos que estão poluindo Nairóbi, capital do Quênia, a partir da criação de blocos de tijolo produzidos com reciclagem.

Nzambi Matee vem pesquisando maneiras de reaproveitar a matéria plástica que infesta a região e criou tijolos feitos de resíduos do polímero e areia que se mostraram até 7 vezes mais resistentes que o concreto.

A pesquisadora também desenvolveu todo o maquinário usado na fabricação dos tijolos e fundou a Gjenge Makers, startup que reaproveita resíduos de polietileno de baixa e alta densidade na produção.

A empresa, que conta com 110 empregados e atingiu a capacidade de produzir até 1500 tijolos por dia, está sendo comercializando o produto a um preço equivalente a US$ 7,7 por metro quadrado, valor um pouco acima de R$ 40 na cotação atual do dólar.

Sua criação recebeu o prêmio Jovem Campeã da Terra de 2020, para a África. O reconhecimento veio através do Programa Ambiental das Nações Unidas.

Fonte: Ciclovivo

Imagem: Colossal

Sem comentários

Postar um comentário